Categoria: Uncategorized

Outubro 22, 2021

Existem bactérias presentes naturalmente na boca que são responsáveis por transformar os alimentos, principalmente o açúcar e o amido, em ácidos. Quando estas bactérias unem-se aos ácidos e aos restos de alimentos na nossa boca acabam por formar uma placa. Os ácidos dessa placa dissolvem a superfície esmaltada do dente e dão origem à cárie.

São vários os fatores que contribuem para a formação da cárie, entre eles, uma dieta rica em açúcares e hidratos de carbono simples, assim como em alimentos que podem facilmente ficar presos aos dentes.

Quando sente a presença de uma cavidade, ou a ausência de uma parte do dente, muito provavelmente terá uma lesão de cárie dentária já avançada. A detecção de cáries numa fase inicial não é fácil e normalmente só consegue ser realizada por médicos dentistas.

Se notar alguma alteração de cor, como manchas brancas, amareladas, acastanhadas ou pretas na parte superior dos dentes (sulcos e fissuras), deverá consultar o seu médico dentista. As lesões de cárie entre os dentes podem ser potencialmente detectadas ao passar o fio dentário, uma vez que fica preso ou esgaça na sua presença. Quando sente dor, é sinal de que a cárie já atingiu a parte mais interna do dente (dentina).

O tratamento varia de acordo com a profundidade da lesão provocada pela cárie. Os tratamentos à base de flúor podem ajudar a curar as cáries no esmalte, mas para cáries mais profundas, os dentistas devem remover a cárie e preencher o espaço resultante. Ao não ser tratada corretamente, a cárie continua a desenvolver-se. Além disso, aquela que fica sem tratamento pode provocar a perda do dente.

Quando a cárie é tratada antes de provocar dor, é provável que se possa reduzir a lesão causada na polpa e se possa salvar uma maior parte da estrutura do dente. Para detectar precocemente as cáries, o dentista procura informar-se acerca da dor, examina os dentes e realiza testes com instrumentos adequados, podendo também recorrer às radiografias.

Outubro 20, 2021

O Cancro da Boca é o sexto tipo mais comum da doença em Portugal. Hábitos como fumar e beber aumentam, consideravelmente, as chances de desenvolver a enfermidade. No entanto, são poucos os portugueses que sabem que, à semelhança do que se faz para o cancro da mama, também para o cancro oral existe um autoexame, que pode ajudar a identificar precocemente lesões.

Durante uma das visitas ao médico dentista, o profissional pode ensinar como fazer adequadamente o autoexame da boca. De forma resumida, o autoexame da cavidade oral é rápido, mas precisa ser bem feito para que seja possível identificar sinais de problemas graves. E, como já sabemos, quanto mais precoce pudermos diagnosticar essas doenças, maiores são as chances de cura e menores as sequelas de eventuais tratamentos.

Realizar o autoexame da boca é importante não só para prevenção do cancro da boca como de doenças da gengiva e dos dentes.

Veja abaixo como fazer o exame:

– Remover, se for o caso, próteses dentárias e escovar os dentes;

– De frente para um espelho e com ambiente bem iluminado, analisar a pele do rosto e do pescoço, para ver se existe algum abaulamento, lesões avermelhadas ou outras alterações;

– Olhar a boca e a garganta no espelho;

– Com a ponta do dedo indicador, examinar cuidadosamente a parte interna das bochechas, percorrer as gengivas, as bordas laterais e a parte de cima da língua, além do soalho (abaixo da língua) e o céu da boca.

– Examinar o pescoço, comparando os lados direito e esquerdo.

– Observar a cor e textura das gengivas e dos lábios;

– Observar se há dentes fraturados;

– Feridas que não cicatrizam;

– Presença de úlceras acastanhadas ou brancas;


Ao notar alguma alteração consulte o médico dentista.

Outubro 18, 2021

As lesões provocadas por algum tipo de trauma na região da boca podem atingir face, os lábios, tecidos moles, dentes e/ou estrutura óssea de suporte. As lesões dentárias podem ir desde simples fissuras do esmalte até grandes fraturas da coroa e da raiz dentária, que podem ser irreparáveis. Além disso, os traumatismos dentários podem ter várias origens, como quedas, prática desportiva, acidentes de bicicleta e viação, violência física e o uso de piercings labiais ou linguais.

Nalguns casos pode ocorrer a avulsão do dente do seu alvéolo, quando este é expulso na totalidade da cavidade oral. Noutras situações o dente mantém-se íntegro, mas as estruturas de suporte são afetadas. Quando o trauma atinge os dentes e suas estruturas de sustentação, o médico dentista é responsável pela avaliação e indicação do melhor tratamento para o problema, que pode variar consoante o tipo de lesão que afetou o dente. Nos casos de pequenas fraturas, uma simples restauração pode devolver o dente à sua normal função e estética.

Já em casos mais graves, podem ser necessários outros procedimentos, como tratamento endodôntico, coroas ou facetas dentárias e até eventual colocação de implantes dentários para substituição de dentes irrecuperáveis.

Se sofreu algum acidente que afetou a região oral, faça uma avaliação connosco!

Outubro 16, 2021

Por ser semelhante ao dente natural, o implante deve ser higienizado como tal com alguns cuidados extras.

Utilize uma escova interdental para limpar as faces laterais do dente e o fio dentário para os espaços onde não consegue chegar com a escova interdental. Limpe cuidadosamente todas as partes da boca, os dentes, as gengivas e a língua. Depois da escovagem, pode usar um elixir recomendado.

Deve escovar os dentes onde foram colocaram os implantes tal como faz com os seus dentes naturais, de forma a conseguir um tratamento de sucesso a longo prazo. Lave os dentes, pelo menos, duas vezes ao dia sem esquecer o uso do fio dentário, pois a falta de higiene adequada pode levar ao acúmulo de tártaro na região do implante e, por consequência, aumentar as chances de uma infeção no local.

Além disso, é fundamental visitar regularmente o dentista, pois na consulta de manutenção de dentes implantados, o dentista faz a avaliação da condição de saúde oral e do estado dos implantes. Ele remove as próteses, faz a limpeza, tira os parafusos e realiza a troca, se necessário.

Na consulta de manutenção, o especialista também faz uma radiografia com o objetivo de descobrir se ocorreu perda óssea, ou seja, saber se a estrutura ao redor dos implantes está bem. É um procedimento fundamental, pois ele compara o exame que foi feito após a instalação dos implantes com os que são realizados depois de 6 meses ou de um ano.

Outubro 14, 2021

Uma das características que dão um aspeto mais jovem ao rosto é a uniformidade das maçãs do rosto em continuidade à região da pálpebra inferior. A medida que envelhecemos, a perda de tecido gorduroso, muscular e ósseo na região da face faz surgir alguns desníveis que podem resultar em uma aparência mais envelhecida. Veja na imagem abaixo:

Idade: 35 anos
Idade: 45 anos

No processo de envelhecimento do terço médio, não há somente uma “queda” por gravidade das estruturas das bochechas, mas também uma mudança qualitativa da pele, redistribuição (hipotrofia e hipertrofia) volumétrica dos compartimentos gordurosos da face e remodelação contínua dos ossos desta área.

O tratamento das bochechas com preenchedores visa à redistribuição ou reposição dos volumes faciais. O preenchimento do terço médio da face (maçã do rosto, malar ou zigomático)  é o menos conhecido, mas sem dúvida, o mais importante de todos os preenchimentos, pois é esta região a responsável pela sustentação da face.

A correção com preenchimento dá uma resposta excelente. Uma melhora expressiva, como um mini lifting facial, mas sem cirurgia. Os preenchimentos e  as técnicas de volumização facial trabalham nessa perda de volume de maneira natural, revertendo sinais característicos de envelhecimento.

Na Clínica Dentária Mário Teodózio trabalhamos com o que há de mais moderno na Harmonização Orofacial. Faça uma avaliação connosco!

Outubro 11, 2021

As manchas brancas nos dentes, apesar de parecerem inofensivas, em muitos casos podem ser mais do que simplesmente um incómodo estético. Podem ser indicativo de cárie ou outros problemas.

A mancha branca provocada pela cárie corresponde ao primeiro sinal de desgaste do esmalte dental. Normalmente essas manchas surgem em locais onde o acúmulo de alimentos é localizado, como próximo à gengiva e entre os dentes, favorecendo a proliferação de bactérias e a formação de placas.

Outro fator que pode causar manchinhas brancas no dente é a fluorose dentária, uma patologia que afeta os dentes e que se desenvolve durante a sua formação. Esta afeção é desencadeada pela presença em excesso de fluoreto (ou flúor), e manifesta-se ao nível do esmalte dentário na forma de manchas e/ou defeitos anatómicos. É um problema que pode ser evidenciado logo no bebé, ou em crianças, no caso da fluorose infantil, e pode continuar a evidenciar-se na fase adulta.

Um dos sinais mais evidentes e visíveis da fluorose dentária é a presença de manchas nos dentes que normalmente apresentam uma forma irregular e podem ter várias tonalidades consoante a sua gravidade e intensidade.

É importante consultar o seu médico dentista para controlar o surgimento, ou até acompanhar o desenvolvimento das manchas, pois, nos casos mais severos, poderá mesmo haver irregularidades e perda da estrutura dentária, já que a fluorose torna o esmalte hipomineralizado, mais poroso e friável, e como tal, mais fácil de se desgastar, podendo em alguns casos surgir mesmo surgir mesmo sensibilidade dentária e/ou dor de dentes.

O terceiro fator mais comum é a hipoplasia de esmalte, uma condição caracterizada pela deficiência da formação do esmalte do dente. As manchas que aparecem por causa da hipoplasia são normalmente tratadas com clareamento dentário ou uso de cremes dentais remineralizadores

Outubro 9, 2021

O implante dentário é um dispositivo formado por um pino de titânio e uma coroa, que apresenta o mesmo aspeto, funcionalidade e resistência de um dente natural. Foram criados para ter grande durabilidade e dar conforto e segurança ao paciente na hora de mastigar e falar.

Um implante dentário permite substituir um dente natural, podendo ser colocado no osso do maxilar superior ou inferior permitindo suportar forças tal como acontece com os dentes naturais. Podem ser utilizados para substituir qualquer um dos dentes (incisivos, caninos, pré-molares ou molares), desde que haja sustentação óssea, ou, então, para substituir vários dentes ou mesmo para a substituição de uma dentadura completa.

Para sua colocação, é necessária uma cirurgia, em que é aplicada uma anestesia local, podendo durar de uma a duas horas. Há cuidados que são recomendados pelos implantologistas para que a cirurgia corra da melhor maneira possível. É importante que se saiba que não há qualquer tipo de patologia na boca do paciente como anomalia ou mazela (o excesso de tártaro, por exemplo, pode ser impeditivo paara a realização da cirurgia).

Para que tudo seja feito com segurança, a recuperação seja rápida e a cicatrização ocorra sem contratempos, é fundamental ter atenção, também, aos cuidados pós-operatórios.


1- Repouso nos primeiros dias para evitar sangramentos, edemas e infeções;

2 – Uso dos medicamentos prescritos;

3 – Higiene oral adequada, é recomendado fazer uma limpeza mais suave nas primeiras 72 horas — sem realizar qualquer tipo de bochecho. Evite passar a escova no local operado;

4 – Aplicação de compressas frias para reduzir dor e inchaço;

5 – Alimentação líquida e fresca, evitar bebidas ácidas e com gás;

6 – Não fumar;

7 – Não apanhar sol;

8 – Evitar assoar o nariz;

9 – Evitar atividades físicas por 10 dias;

10 – Não consumir bebida alcoólica

Outubro 7, 2021

Para manter a saúde dos nossos dentes e gengivas, devemos lavar os dentes no mínimo duas vezes por dia e trocar a escova de dentes a cada três meses. Este período é calculado tendo em consideração a pressão aplicada durante o processo.  Uma escova de dentes muito desgastada ao fim de apenas algumas semanas é sinal de que estamos a aplicar demasiada pressão durante a escovagem. Tenha atenção!

Aguardar mais do que três meses para trocar a escova de dentes pode ter como consequência uma acumulação de bactérias, fungos e vírus. No entanto, há outros indicadores que devemos ter em conta na hora de substituir a escova: o sinal mais simples de o saber está na deformação das cerdas, pois uma escova deformada origina uma higiene deficiente e consequentemente problemas de inflamações da gengivas e cáries.

COVID-19: Depois de se curar de uma infeção, o ideal é trocar imediatamente a sua escova de dentes. A prática é válida tanto para gripes e resfriados quanto para doenças mais graves, como a Covid-19. Isto porque alguns dos vírus e bactérias causadores de doenças podem ficar acumulados nas cerdas da escova.

Existem alguns cuidados que podemos ter para que a escova de dentes se mantenha limpa e eficaz ao longo da sua utilização:

– Higienizar a escova de dentes semanalmente colocando-a durante 30 minutos num copo de água com uma colher de bicarbonato e duas de vinagre.

– Quando estivermos constipados, devemos colocar a escova num antissético oral durante 10 minutos após a utilização.

– Devemos colocar uma tampa na escova de dentes depois de ela estar devidamente seca, para evitar que alguns resíduos em suspensão se acumulem nos cerdos.

Outubro 5, 2021

O implante dentário é um dispositivo formado por um pino de titânio e uma coroa, que apresenta o mesmo aspeto, funcionalidade e resistência de um dente natural. Foram criados para ter grande durabilidade e dar conforto e segurança ao paciente na hora de mastigar e falar. Podem ser utilizados para substituir qualquer um dos dentes (incisivos, caninos, pré-molares ou molares), desde que haja sustentação óssea, ou, então, para substituir vários dentes ou mesmo para a substituição de uma dentadura completa.

Qual a importância de substituir o dente perdido?

Quando nos faltam dentes, os seus antagonistas (dentes do maxilar oposto que entravam em mastigação com os dentes em falta), e os que estão ao lado, tendem a deslocar-se para o espaço livre deixado pelo dente perdido, provocando desequilíbrios nas arcadas dentárias que podem originar a perda de mais dentes, assim como problemas graves na articulação dos maxilares. No local onde estava o dente também acontece a absorção pelo próprio organismo do osso maxilar onde as raízes dos dentes estavam implantadas, originando a perda óssea.

Neste sentido, os implantes dentários permitem-nos restituir as funções dos dentes naturais (mastigatória, fonética e estética) e prevenir a perda de mais dentes e o desequilíbrio da arcada dentária. A cirurgia de implante dentário é o procedimento cirúrgico (operação) que nos permite a colocação dos implantes, sendo na atualidade muito seguro e utilizado com muita frequência.


Entre os benefícios do implante dentário podemos citar:

– Não danifica os demais dentes;

– Ajudam a preservar o osso maxilar;

– São permanentes e duráveis;

– Tem aparência de dente natural;

– Melhoram a aparência e dão confiança;

– Permitem comer confortavelmente;

– Técnica segura de reposição do dente perdido;

– Recuperação rápida;

Outubro 1, 2021

O acompanhamento profissional para o desenvolvimento dos dentes das crianças é importante desde o surgimento do primeiro dente de leite. Esta é uma fase na qual já se pode fazer a primeira consulta com um odontopediatra.

Conforme os dentes aparecem, é recomendado que os familiares observem se há algum tipo de problema que possa interferir na respiração, mastigação e até na fala das crianças. Em alguns destes casos, pode ser necessário fazer alguma intervenção para melhorar a qualidade de vida dos miúdos.

Os tratamentos ortodônticos implementados na infância e adolescência, tem como objetivo beneficiar de uma fase em que o desenvolvimento ósseo e as arcadas dentárias ainda não estão consolidadas para corrigir problemas.

Por essa razão, nesta fase é mais fácil provocar um correto alinhamento dos dentes e maxilares. É também mais provável identificar problemas ainda subtis, com potencial para agravarem com o tempo.

Mesmo que o uso do aparelho seja recomendado a partir dos seis anos, ou quando a criança já perdeu a maioria dos dentes de leite e os definitivos já começaram a crescer, bem antes disso os pais mais atentos já podem perceber alguns sinais de que algo não vai bem com os dentes dos filhos.




Os sinais são:

  • Diastema
  • Respiração pela boca
  • Mordida aberta
  • Mordida Cruzada
  • Apinhamento Dentário
  • Perda precoce ou tardia os dentes de leite

Quando observarem esses sinais, o médico dentista deve ser procurado para indicar o melhor tratamento ortodôntico para a criança.

Translate »